1. Primeiros passos / First steps

Maria. Que nome mais bonito. 

Atentemos à sua sonoridade… 

Ma Ri A. Maaa Riii Aaa. Maaaa Riiiii Aaaaa.

– SIIMMMM! – responde prontamente a Maria, levantando em riste uma orelha. Ela dormia descansada, mas alerta.

– Estás pronta para contar a tua história?

– Para quê? – rebolando o corpo para o lado esquerdo da cama e pousando o queixo no travesseiro.

– Porque não? Muita gente iria gostar de te ouvir.

– Eu não sei o que dizer. Não sei quem vai achar interessante o que tenho para contar. A minha vida não é assim muito interessante. É um pouco monótona. – rebolando agora para o lado direito.

Gosto de comer, mais do que tudo o resto gosto bastante de comer; gosto de dormir, mas nunca chego bem a dormir, é assim um dormir alerta, um olho aberto e outro fechado, também consigo dormir de olhos abertos; gosto de ladrar, de manter as coisas em ordem e gosto de observar porque não tenho de pensar em nada, aliás, nem sei como é que estou a falar ou a comunicar isto, os cães não falam, é o que dizem, simplesmente vejo a vida a acontecer à minha frente. Também gosto de descansar. Ser cão por vezes não é fácil. Nada fácil.

– Isso já é mais suficiente, mais do que suficiente, quem tem bons ouvidos consegue escutar! – insisto de novo, sim, porque os cães pastores alemães podem por vezes ser um pouco teimosos e obstinados. Pelo menos a Maria é assim.

– Como quiseres, desde que não te atrases com o meu farnel por mim tudo bem… e desde que isto não implique noitadas a escrever…. e desde que não te esqueças de irmos passear às horas combinadas… e desde que massajes as minhas costas todos os dias, nem mais nem menos, estas são as minha regras, pode ser?

– Certo. Combinado. – lá sorrio eu.

Num qualquer recanto do nosso pequeno rectângulo banhado do lado esquerdo pelas águas geladas do atlântico e banhado do lado direito pelas águas quentes de Espanha, existem num desses tais recantos, uma avó chamada Maria, uma tia Maria, uma mãe Maria, uma irmã Maria, etc.

E também, não menos importante, existe o mau maria, mas esse é diferente dos demais devido aos seus contornos e não é, pelo menos por agora, para aqui chamado ao relato.

Que me lembre, e se pensar bem, se tentar recordar-me dos tempos em que fui criança pequena até aos tempos em que sou uma criança grande e com pelos por todo o lado, se eu fizer um brutal esforço de memória, se bem que não posso confiar muito nesta minha memória azarada, porque por vezes ela não é muito coerente e objectiva nos seus desenhos e nas suas recordações, mas se eu pensar e pensar bem, pelo menos tentar não é? Se eu pensar bem, eu não me lembro de ter alguma vez ouvido falar de um cão, quanto mais uma cadela ou de um outro qualquer animal cujo nome seja Maria. 

Um macaco Maria seria engraçado. Uma zebra Maria também. E se fosse um elefante chamado Maria então é que seria espectacular. Se fosse um crocodilo chamado Maria ou um leão chamado Maria, animais que diríamos, associados a um conceito de virilidade, se estes animais tivessem o nome Maria, quase de certeza que seriam objecto de regabofe na comunidade em que vivem e servem.

O mundo é grande, dizem, quer dizer, a Natureza é grande e não podemos ocupar-nos de tudo, o que seria certamente uma tarefa impossível, para além de impossível, infindável. Mas ainda que seja infindável, deve ser ou deveria ser, a maior fonte de ocupação do nosso espírito porque afinal de contas somos a natureza e a natureza somos nós. Não esqueçamos isto.

E não nos esqueçamos que o impossível já foi feito… tu. Sim tu. Tu e o resto do mundo, as flores, os diferentes tipos de flores, milhões delas … e de árvores … e de animais … meu Deus!

Querem saber uma coisa engraçada? A ser verdade, a palavra espírito tem um significado comum com a palavra intangível, aquilo que é subtil. Espírito, cuja origem etimológica (para quem não sabe a etimologia estuda a origem das palavras) significa vento e respiração. Aquilo, aquele, aqueloutro que está vivo, verdadeiramente vivo é a energia do espírito, que nunca morre e nunca nasce.

Por isso, deixemos, assim de simples, que o mistério venha até nós e ocupe o lugar que existe por entre as células e células do nosso corpo, que habite entre os ossos e os músculos, entre os átomos e a electricidade, entre cada pensamento e no pensamento. Ocupando esse espaço líquido por onde enzimas, proteínas e nutrientes calcorreiam e electrificam o nosso corpo humano assim como o corpo dos demais seres nesta dança conjunta cósmica.

O que vamos narrar a seguir é apenas e só a incrível e misteriosa história duma cadela pastora alemã de nome… Maria, Maria da Conceição do Sagrado Coração. Estou a brincar, mas podia bem ser, se para aí estivéssemos virados, ou se o vento do espírito nos virasse para aí.

Sagrado Coração bem podia ser por causa da sua ingenuidade e inocência, da sua intensidade e força, e que apesar das circunstâncias de vida que teve de enfrentar, nada fáceis aos olhos dos comuns dos mortais, manteve sempre essa chama de vida bem viva. E acima de tudo sem esforço, como tudo o que acontece na Natureza.

Só os humanos é que vivem com esforço, a muito custo. O que é uma desgraça.

A vida a manifestar vida, é só disso que se trata este relato. Nada mais.

– Estás pronta Maria?

– Haaã haaaã…



Maria. What a beautiful name.

Pay attention to its sound…

Ma Ri A…. Maaa Riii Aaa…. Maaaa Riiiii Aaaaa….!

– Yes! says Maria. She slept.

– Are you ready to tell your story?

– For what reason? – rolling the body to the left side of the bed and resting the chin on the pillow.

– Why not? A lot of people would love to hear from you.

– I do not know what to say. I don’t know who will find what I have to tell interesting. My life is not that interesting. It’s a little monotonous. I like to eat, but most of all I like to eat, I like to sleep, well, I never get to sleep, it is an alert sleep, one eye open and the other closed, I can also sleep with my eyes open. I also like to bark, to keep things in order and I like to observe because I don’t have to think about anything, just to see life happening in front of me. I also like to rest from time to time. Being a dog is sometimes not easy. Not easy at all.

– That is enough! Actually more than enough for those who listen. With good ears anything is possible. – I insist again because German sheepdogs can sometimes be a little stubborn.

– As you wish, as long as you are not late with my meal that’s fine … and as long as this does not imply writing over night … and as long as you do not forget to walk with me at the agreed hours, no more and no less , these are my rules, is it ok for you?

– Ok! Right on. Agreed!

In any corner of our small rectangle bathed on the left side by the icy waters of the Atlantic and bathed on the right side by the warm waters of Spain, in one of these nooks and crannies, there is a grandmother named Maria, an aunt Maria, a mother Maria, a sister Maria and so on and so forth.

And also, not least, there is the “Holy cow! Maria”, but this one is different from the others due to its deep contours and it is not, at least for now, here called to report.

If I remember,if I think about it, if I try to remember the times when I was a small child until the times when I am a big child and with hair everywhere, if I make a brutal memory effort, although I cannot trust my unlucky memory too much, because sometimes it is not very consistent and objective in its drawings and memories, but if I think and think well, at least try, right? If I think about it, I don’t remember ever hearing about a dog, let alone a dog or any other animal whose name is Maria.

A monkey named Maria would be funny. A zebra Maria too. An elephant called Maria would be spectacular. A crocodile called Maria or a lion called Maria, animals that we associate with a concept of virility, if these animals had the name Maria, they would almost certainly be the subject of mocking in the community in which they live and serve.

The world is big they say and we cannot take care of everything which would certainly be an impossible task, in addition to impossible, endless. But even though it seems endless it must or should be the greatest source of occupation of our spirit because after all we are Nature and Nature is us. Let us not forget this.

And let us not forget that the impossible was already made… you. Yes, you. You and the rest of the world, the flowers, the different kinds of flowers, zillions of them… and trees… and animals… my God!

Do you want to know something funny? To be true, the word spirit has a common meaning with the word intangible, that which is subtle. Spirit, whose etymological origin means wind and breath. Wind and breath, intangible… that which is alive, truly alive is the energy of the spirit, which never dies and is never born.

Therefore, let mystery come to us and let it occupy  the place that exists between the cells of our body, dwelling between bones and muscles, between atoms and electricity, between each thought and in each thought. Let the mystery occupy this liquid space where enzymes, proteins and nutrients run and electrify our human body as well as the body of other beings in this cosmic dance.

What we are going to narrate next is just the simple yet incredible and mysterious story of a German shepherd dog named… Maria, Maria of the Sacred Heart. I’m kidding, but it could well be if the wind of the spirit turned us in that direction.

Sacred Heart because of Maria naivete and innocence. 

And despite all the life circumstances that she had to face, not easy to the common mortal, she always kept the flame of life alive, without effort, like everything that happens in Nature. 

Only humans live with effort, at great cost.

Life manifesting life, that’s all this story is about. Nothing else.

– Are you ready Maria?

– Haaã haaaã …

Comments (4)

  1. Maria, simplesmente doce e linda, uma expressão viva de AMOR!

    • Marcelino

      Podes crer. O amor é assim uma coisa viva que não tem limites. 🙂

  2. Alan Encinas Martínez

    Muy bello inicio!
    Quiero seguir leyendo y descubriendo a Maria.

    Un abrazo, mi amigo Marcelino.

    • Marcelino

      Alan que bueno saber de ti! Todo bien? GRacias por tu lectura hehe 🙂 Abrazotes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *