Quem sou / Who am I?

Este blog surgiu da vontade de comunicar uma história.

Uma história real que se passou e que continuamos ainda a viver.

É a história duma cadela chamada Maria e das aventuras e desventuras que fomos vivendo com ela ao longo dos últimos oito anos.

Ela é uma cadela especial, é paraplégica mas anda, coisa estranha; não faz xixi nem cocó sozinha, temos de o fazer por ela todos os dias, sem falta, e no entanto, as suas limitações não a impedem de se expressar naturalmente, ser um cão alegre e feliz.

A Maria continua a contagiar-nos pela sua maneira de ser. Mas é um cão? Sim, e por isso mesmo ela tem muito para nos ensinar, a nós espécie humana.

Os últimos oito anos foram anos intensos de aprendizagem, tanto a nível interno, pelas revelações pessoais, de como sentimos e vivemos o mundo; assim como a nível externo, pela forma como essas revelações se integraram na nossa vida, tornando-a simples, minimalista, com uma alegria sem esforço e sem razão aparente de ser.

Apreciamos o simples facto de estarmos vivos apenas, sem adornos nenhuns, sejam adornos materialistas ou espiritualistas ou seja lá o que for.

Posso até dizer que viver com a Maria é o equivalente a viver com um mestre Zen, ou um mestre Taoista, ou Cristão, tanto faz.

Este blog é o relato que tanto queria escrever e que dadas as condições actuais em que vivemos, a desta pandemia, me motivou a escrever as experiências que fomos vivendo com a Maria.

Não sei se irá inspirar alguém, se sim fico contente.

Meu nome é Marcelino, a da minha amiga Mariana. Chamo-lhe amiga porque é mais do que uma companheira ou namorada ou mulher, é isso, uma amiga.

Sou um tipo banal, nada de especial. Deram-me o nome de Marcelino, não tive muita escolha, não pensava muito nessa altura. Depois cresci, amadureci, dizem-me, até que comecei a pensar pela minha cabeça, disseram-me.

Até que cheguei a um ponto em que percebi que pensar demasiado é assim uma coisa grotesca, sem muito significado e substituí o valor do pensamento pelo valor da meditação, mas meditação constante, segundo a segundo, 18h por dia, não de apenas 20 minutos de manhã ou à noite.

Quietude é pura intensidade. Falo de ir percebendo o movimento das coisas, tanto dentro como fora, sem julgar, sem condenar, ir aprendendo com esse movimento, isto para mim é a meditação, um livro aberto e de páginas em branco, que se escrevem e que se apagam de novo e de novo.

Viver com animais propicia muito a este modo de vida. É vê-los a agir e depois descansar, meditar. Agir e meditar, relaxar.

Em psicologia holokinética chamam percepção unitária a esta meditação, um nome que serve apenas como instrumento de comunicação, nada mais. Quando ela acontece, esquecem-se todos os nomes das coisas e fica-se a apreciar a vida a acontecer, a apreciar a Maria a dormir, a ressonar e a dar pums.

E ainda o Django, o nosso outro companheiro canino. Hiperactivo, falador e que gosta de conhecer toda a gente.

Espero que gostem e se quiserem conversar estejam a vontade, gosto de aprender com todos. Se também quiseres maldizer, estás à vontade, apenas digo-te que se o quiseres fazer, então fá-lo com toda a tua intensidade e verdade, não o faças a meias, entendes?

Um abraço! Até já.

This blog arose from the desire to communicate a story.

A real story that happened to us and that we still live.

It is the story of a dog named Maria and the adventures and misfortunes that we have been living with her over the past eight years.

She is a special dog, she is paraplegic but she walks, strange thing; she doesn’t pee or poop alone, we have to do it for her every day, without fail, and yet, her limitations don’t prevent her from expressing herself naturally and being a happy.

Maria continues to inspire us for her way of being. But she is a dog?

Yes and for that very reason she has a lot to teach us, us human species.

The last eight years have been intense years of learning, both internally due to personal revelations, of how I feel and live the world; as well as externally by the way these revelations were integrated in life, making it simple, minimalist, with an effortless joy, for no apparent reason to be.

We appreciate the simple fact that we are alive only, without any adornments, be they materialistic or spiritualistic adornments or whatever.

I can even say that living with Maria is the equivalent of living with a Zen master, or a Taoist or Christian master, whatever.

This blog is the story that I wanted to write so much and given the current conditions in which we live, that of this pandemic, it motivated me to write the experiences we were living with Maria.

I don’t know if it will inspire anyone, if so I am happy.

My name is Marcelino, that of my friend Mariana. I call her a friend because she is more than a companion or girlfriend or woman, she is a friend.

I’m a trivial guy, nothing special. They gave me the name Marcelino, I didn’t have much choice, I didn’t think much at that time. Then I grew up, matured, so they tell me, until I started thinking through my head, they told me also.

Until I got to the point where I realized that thinking too much is a grotesque thing without much meaning and I replaced the value of thought with the value of meditation but constant meditation, second by second, 18h per day, not just 20 minutes during morning or evening.

Stillness is pure intensity. I speak of perceiving the movement of things, both inside and outside, without judging, without condemning, learning from this movement, this is for me meditation, an open book with blank pages which are written and erased again and again.

Living with animals inspires this way of life. It is watching them act and then resting, meditating. Act and meditate, relax.

In holokinetic psychology this meditation is called unitary perception, a name that serves as a means of communication, nothing more. When it happens, all the names of things are forgotten or put aside and you just enjoy life happening, enjoying Maria sleeping, snoring and giving pums.

And Django, our other canine companion. Hyperactive, talkative and who likes to meet everyone.

I hope you like it and if you want to talk feel free, I like to learn from everyone. If you also want to curse, you are at ease, I just tell you that if you want to curse, then do it with all your intensity and truth, don’t do it halfhearted, do you understand?

A hug! See you soon.